Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  |   | 

Alterações no zoneamento afetarão várias regiões

| A Semana | 19 de novembro de 2011

Mauro Araújo afirmou que a participação popular é consultiva

As mudanças no zoneamento têm provocado muitas discussões. Audiências públicas foram marcadas para 28 de novembro na Câmara. O evento será dividida em dois blocos. Das 15 às 18 horas serão discutidos sete projetos, como a  transformação de Zona de Uso Diversificado (ZUD) para Zona de Uso Predominante Industrial (ZUPI) da área na Vila Moraes para instalação de indústria, o que favorece a Daikin; permitir que na rua Projetada, no Caputera, possa ser instalado comércio de produtos alimentícios;  permitir a instalação de 11 tipos de estabelecimento comerciais em um quarteirão da avenida Francisco Assis Monteiro de Castro, na Vila Oliveira e centro de distribuição e supermercados na Perimetral, na Volta Fria.   

Já na segunda etapa, das 19 às 22 horas, mais sete projetos serão debatidos, entre eles a área da Fazenda Rodeio será exclusivamente residencial; transformação da área da Vila Moraes de Zona Residencial (ZR-2) para ZR-6 (maior densidade populacional); acrescentar estabelecimento de reciclagem na Estrada Municipal Luiz Emílio Martinioso, no Caputera; alteração do zoneamento ZR-6 para Zona de Uso Diversificado (ZUD); criação do novo corredor permitido a revenda de água e gás de cozinha na rua Olavo Cabral, localizado na Vila Mathias, em Sabaúna; e permitir fábrica de embalagens de madeira na rua Waldir Paiva de Oliveira Freitas, na Vila São Paulo.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, Mauro Araújo (PMDB), a participação popular é apenas consultiva, ou seja, o fato de uma ou mais propostas serem rejeitadas pelo público, não quer dizer que serão retiradas do projeto.

Associações

As associações de moradores têm opiniões diferentes sobre o assunto. O presidente da Associação de Moradores da Praça Norival Tavares e entorno, o advogado Osmar Paro, afirma que o zoneamento urbano de alguns locais pode levar a desvalorização de imóveis.

Já o presidente da Associação dos Moradores da Vila Moraes, Clodoaldo Aparecido de Moraes, onde o projeto prevê mudanças em prol da instalação da  multinacional Daikin, disse que concorda com o projeto, mas desde que não degrade o meio ambiente. 

As mudanças no zoneamento têm provocado muitas discussões. Audiências públicas foram marcadas para 28 de novembro na Câmara. O evento será dividida em dois blocos. Das 15 às 18 horas serão discutidos sete projetos, como a  transformação de Zona de Uso Diversificado (ZUD) para Zona de Uso Predominante Industrial (ZUPI) da área na Vila Moraes para instalação de indústria, o que favorece a Daikin; permitir que na rua Projetada, no Caputera, possa ser instalado comércio de produtos alimentícios;  permitir a instalação de 11 tipos de estabelecimento comerciais em um quarteirão da avenida Francisco Assis Monteiro de Castro, na Vila Oliveira e centro de distribuição e supermercados na Perimetral, na Volta Fria.   

Já na segunda etapa, das 19 às 22 horas, mais sete projetos serão debatidos, entre eles a área da Fazenda Rodeio será exclusivamente residencial; transformação da área da Vila Moraes de
Zona Residencial (ZR-2) para ZR-6 (maior densidade populacional); acrescentar estabelecimento de reciclagem na Estrada Municipal Luiz Emílio Martinioso, no Caputera; alteração do zoneamento ZR-6 para Zona de Uso Diversificado (ZUD); criação do novo corredor permitido a revenda de água e gás de cozinha na rua Olavo Cabral, localizado na Vila Mathias, em Sabaúna; e permitir fábrica de embalagens de madeira na rua Waldir Paiva de Oliveira Freitas, na Vila São Paulo.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, Mauro Araújo (PMDB), a participação popular é apenas consultiva, ou seja, o fato de uma ou mais propostas serem rejeitadas pelo público, não quer dizer que serão retiradas do projeto.

FONTE: 19/11/2011 – http://www.asemana.com.br/noticias/cidades/3225

297 visualizações, 0 hoje

Homem que perdeu tudo em um incêndio está sendo ajudado pelos vizinhos

| Mogi News - TV | 16 de novembro de 2011

Um homem que perdeu tudo em um incêndio está sendo ajudado pelos vizinhos. O “Seu Piuí” vive no Jardim Rodeio,…

Veja o vídeo CLICANDO AQUI

FONTE: 16/11/2011 – http://www.tvmoginews.com.br/default.aspx?id=14695

276 visualizações, 0 hoje

Desapropriação

| Mogi News | 15 de novembro de 2011

Plano Diretor
O juiz da 4ª Vara Cível de Mogi das Cruzes, Marcos Alexandre Santos Ambrogi, está analisando uma ação de desapropriação requerida pela Petróleo Brasileiro (Petrobrás) contra dois proprietários de um imóvel na avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes, 1.230, lote quatro da quadra 18 do Jardim Rodeio com uma área de 250 metros quadrados. A desapropriação é necessária para a implantação de válvula de bloqueio e de dutos para a movimentação e transporte de gás natural, petróleo e derivados do Plano Diretor de Dutos de São Paulo.

FONTE: 15/11/2011 – http://www.moginews.com.br/materias/contracapa.aspx?ided=1387

237 visualizações, 0 hoje

Operação Verão inicia em dezembro

| Mogi News | 15 de novembro de 2011

Defesa Civil de Mogi já se prepara para o período de enchentes e deslizamentos; ação vai até março de 2012


Daniel Carvalho

O Jardim Layr está entre as áreas que requerem atenção redobrada neste época de chuvas

A chuva que caiu em Mogi das Cruzes no domingo pode representar o início da temporada de tempestades na cidade. A Defesa Civil do município planeja lançar no dia 1 de dezembro a Operação Verão que se estenderá até 31 de março de 2012. Deslizamentos, alagamentos e quedas de muro e árvores são esperados para a época chuvosa que se inicia. Segundo o órgão nenhum problema foi registrado neste fim de semana.
As áreas que requerem mais atenção são Vila Oroxó e Favela do Cisne, no Rodeio; rua Senday, na Ponte Grande; além do Jardim São Paulo, no Botujuru e áreas do Residencial Itapeti e Piatã. As informações são do coordenador da Defesa Civil de Mogi, Valdir de Oliveira.
Ele explicou que essas regiões recebem acompanhamento constante e que essa ação é intensificada no período chuvoso. “Esses locais recebem visitas frequentes, pois há uma preocupação com o risco de desabamento e alagamento. Acredito que até o fim do ano as famílias da Vila Oroxó saíam do local com a ajuda da Coordenadoria de Habitação. À medida que os apartamento do Minha Casa, Minha Vida vão saindo essas pessoas são encaminhadas para essas unidades, pois elas têm prioridade por morar em área de risco”, esclareceu.

Orientação
A Operação Verão reúne a Defesa Civil e outras secretarias do município para atender e orientar a população. “Essa ação é um plano de contingência com a união de todas as secretarias. Cada órgão tem um trabalho específico dentro da operação. Os principais riscos são alagamento, enchente e deslizamento. As rajadas de vento também trazem transtornos como destelhamento, queda de árvore e muro”, contou.

O acompanhamento do nível de chuva e do risco de temporal, bem como a altura do rio Tietê, são outros trabalhos realizados pelo órgão. “Observamos as condições de tempo em sites meteorológicos e nos boletins informativos da Defesa Civil. Se tivermos conhecimento de uma precipitação mais forte já nos deslocamos para pontos pré-determinados para verificar o comportamento dessa chuva”, explicou o coordenador.
A região central da cidade recebe uma atenção especial por causa do ribeirão Ipiranga e o rio Negro. “O nível da água captada por esses rios funciona como um termômetro para nós. Quando o rio Negro está próximo de transbordar uma sirene é acionada para alertar as pessoas do centro e entorno. Isso é feito para que elas retirem os carros por causa do risco de alagamento”, explicou Oliveira.
A Defesa Civil realiza, ainda, um trabalho preventivo. “Com o período de chuva os agentes do órgão visitam em loco as áreas de encosta que representam risco de deslizamento. Como medida preventiva, pode ser feita a retirada do pessoal que mora nesses locais. Além disso, fazemos a orientação e o esclarecimento por meio de panfletos e folders”, acrescentou.

FONTE: 15/11/2011 – http://www.moginews.com.br/materias/?idmat=108085&idedito=1&ided=1387

128 visualizações, 0 hoje

Inauguração da AACD será dia 2

| Mogi News | 13 de novembro de 2011

Tudo deve estar pronto no próximo sábado; prédio passará por uma limpeza antes de receber os equipamentos


Daniel Carvalho

Obras estão em fase final. Até a última sexta-feira, 98% das instalações estavam concluídas, faltando apenas detalhes como a pintura da parte interna. Prefeitura fará a jardinagem e o acabamento externo

Os mogianos podem comemorar a data da inauguração da unidade da Associação de Assistência à Criança com Deficiência (AACD) de Mogi das Cruzes, no próximo dia dia 2. O espaço, no entanto, começará a funcionar a partir do dia 5. As informações são da própria entidade. As obras estão na fase final, com 98% das instalações já concluídas, faltando apenas a colocação dos vasos sanitários e metais, além da pintura interna.
A previsão é que tudo esteja pronto para ser entregue no dia 19 de novembro. A jardinagem e o acabamento externo ficaram a cargo da Prefeitura de Mogi.
A unidade tem a capacidade de oferecer tratamento diariamente a 110 pacientes de toda a região. Esse número poderá ser ampliado.
Na última sexta-feira, homens da Secretaria de Serviços Urbanos instalavam os dutos para drenar a água da área externa do prédio. O mestre de obras, Marcos Antonio, contou que a obra está na reta final. “Temos pelo menos 98% da estrutura pronta. Faltam apenas alguns acabamentos como a pintura”, explicou. Todo o prédio deve passar por uma limpeza para receber os equipamentos que ajudarão no tratamento dos pacientes.

Atendimento
Segundo a presidente da Associação de Reabilitação da Criança com Deficiência (ARCD), Onélia Miranda, os profissionais que irão trabalhar na unidade da AACD estão passando por treinamento em São Paulo. “Fisioterapeutas estão fazendo o treinamento. A seleção dos pacientes está sendo feita pelos médicos da AACD. São chamados somente aqueles tenham o potencial de se reabilitar por meio do atendimento realizado. Assim eles poderão ter uma vida com mais qualidade e terão a possibilidade de voltar ao mercado de trabalho. Eles têm sequelas que podem ser do nascimento ou adquirida”, informou.
A unidade de Mogi vai atender diversos tipos de doenças. “Atenderemos as pessoas que tenham lesão medular, lesão encefálica adquirida, amputados, portadores de mielomeningocele, má formação congênita, paralisia cerebral, doenças neurovegetativas, esclerose múltipla e cequela de póliomielite”, descreveu.

FONTE: 13/11/2011 – http://www.moginews.com.br/materias/?idmat=108022&idedito=1&ided=1385

264 visualizações, 0 hoje

Região quer prevenir enchentes

| Diário de Mogi | 12 de novembro de 2011

CENA COMUM Durante o período de chuvas, pontos como a Praça das Bandeiras, sofre com inundações


Mariana Leal

Com a aproximação do período de chuvas, o Alto Tietê se organiza para colocar em prática o Plano Verão 2012, já no início do próximo mês. Cidades como Mogi das Cruzes, Suzano, Itaquaquecetuba e Guararema, que sofrem com as águas principalmente de janeiro a março, começam a monitorar áreas de risco de inundação e deslizamento de terra, preparar espaços para receber desabrigados e a finalizar os serviços de limpeza de rios e córregos. A expectativa é que estas medidas minimizem o impacto à população.

Como de praxe, a Defesa Civil de Mogi permanecerá em estado de alerta e fará o monitoramento de áreas como Favela do Cisne, Ponte Grande, Estrada do Rio Acima e Nova Jundiapeba (por causa do Rio Jundiaí). Já Vila Oroxó, Residencial Itapeti, Botujuru e Piatã I são monitorados por causa do risco iminente de deslizamento.

De acordo com o coordenador do departamento, major Valdir de Oliveira, a partir de 1 de dezembro, equipes ficarão de plantão e receberão boletins meteorológicos diariamente. “Guardas municipais, agentes de trânsito e da Defesa Civil permanecerão em alerta. Eles irão verificar formações de precipitação e comunicarão a central, na Prefeitura. Ficaremos de olho, principalmente no Rio Negro, que é nosso termômetro. Se as águas chegam a 30 centímetros da ponte, na Praça das Bandeiras, acionamos a sirene e já nos deslocamos a outros pontos, que podem também estar sofrendo”, conta.

Oliveira acrescenta que, tão logo acabem os Jogos Abertos, a Defesa Civil se reunirá com órgão da Cidade para apresentar o plano. “Temos certa a participação das secretarias de Esportes, disponibilizando o Ginásio Municipal às famílias desabrigadas, e da Educação, com as escolas e a merenda que servirá de alimento. Mas precisamos de mais ajuda e este encontro servirá para estipularmos os lugares que serão abrigo, além de outros pontos”, explica.

Em Suzano, o Plano Verão foi apresentado nesta semana e também entra em operação a partir de 1 de dezembro. As estratégias se concentram mais em ações preventivas a serem adotadas e também nos parâmetros para atuação em casos de emergência, por meio de uma campanha de comunicação com orientações sobre o que ocorre quando se joga lixo nas ruas, o que fazer em situações de risco de desmoronamento e enchentes, entre outras abordagens. Além disso, uma equipe da Prefeitura fará visitas aos bairros mais afetados, orientando a população e auxiliando no que for necessário. À ação soma-se os serviços de limpeza e manutenção de bocas-de-lobo; desassoreamento de valas, rios e córregos de responsabilidade do Município, além de investimentos em educação e orientações.

Guararema, que sofreu com as chuvas em 2010 e deixou 80 famílias desabrigadas, realizou obras de prevenção, como a
construção de acesso alternativo na entrada da Cidade, taludamento e estabilização de encostas, construção de galerias de águas pluviais e muros de arrimos em áreas atingidas pela chuva em 2010. A expectativa é que as águas castiguem menos desta vez.

No início deste ano, quando a situação das enchentes era mais crítica, a Prefeitura de Itaquaquecetuba realizou uma ação conjunta entre secretarias dirigida aos moradores atingidos pelas chuvas. A força tarefa contou com um diagnóstico sobre as necessidades emergenciais.

Segundo o secretário municipal de Serviços Urbanos, Joaquim Gonçalves da Silva, o ideal é que fossem providenciadas a limpeza e aprofundamento da calha do Rio Tietê  e  remoção das famílias das vias irregulares. No entanto, ele diz que ambas medidas não podem ser adotadas somente pela Administração Municipal, por causa das restrições orçamentárias do município, mas são compromissos do Governo do Estado, que se dispôs a executá-las em breve.

FONTE: 12/11/2011 http://odiariodemogi.inf.br/cidades/noticia_view.asp?mat=32973&edit=6

146 visualizações, 0 hoje

Hidrantes de Mogi têm problemas

| Diário de Mogi | 8 de novembro de 2011

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) recebeu ontem um relatório elaborado pelo Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes sobre a situação atual dos 70 hidrantes da Cidade. O documento indica que todas as unidades, sem exceção, apresentam algum tipo de problema, em diferentes níveis de gravidade. Em cinco casos, considerados mais sérios, os equipamentos apresentam deficiências de pressão ou vazão. O cenário aponta para uma situação de insegurança, já que os instrumentos são ferramentas essenciais para as operações de combate a incêndios na Cidade. A partir da próxima semana, terá início uma ação conjunta, entre os bombeiros e o Semae, para averiguação do cenário apontado no relatório. A autarquia estuda a possibilidade de traçar um plano de manutenção periódica dos equipamentos, inexistente atualmente.

O comandante do 2º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros de Mogi, capitão Marcos Vicente de Paulo Silva, informou ontem que o relatório sobre a situação dos hidrantes da Cidade é atualizado periodicamente. A versão mais recente do levantamento tem data de setembro de 2011 e foi entregue ontem ao diretor-geral do Semae, Marcus Vinícius de Almeida e Melo. O documento contém uma relação dos hidrantes e seus respectivos endereços, com a indicação de todos os problemas existentes em cada um deles. “Há problemas em todos os hidrantes. Na maioria dos casos, eles não são considerados graves. Mas estas situações dificultam o manuseio”.

Entre os problemas verificados há, por exemplo, os casos em que o manuseio dos hidrantes está prejudicado ou situações em que a passagem da água foi obstruída por pedras ou blocos de concreto procedentes de obras particulares. Porém, os casos mais graves foram detectados em cinco pontos da Cidade, onde os instrumentos não possuem pressão suficiente para utilização pelo Corpo de Bombeiros. Dois deles estão localizados na região central e os outros três ficam nos bairros do Rodeio, Ponte Grande e César de Souza.

A situação dos hidrantes voltou a ser discutida na Cidade nos últimos dias, depois que um incêndio no Bairro do Rodeio provocou a interdição de sete estabelecimentos comerciais. Na ocasião, moradores deram declarações de que não haveria água em um dos equipamentos instalados na Avenida Perimetral. Apesar de parecer recente, o assunto não é novo. A situação já é conhecida pelo Semae pelo menos desde junho de 2010, quando o Corpo de Bombeiros apresentou à autarquia levantamentos que indicavam, inclusive, a necessidade de ampliação da rede. O déficit do Município seria de 27 hidrantes.

Em entrevista a O Diário, o diretor-geral do Semae, Marcus Melo, não admitiu que existam problemas nos hidrantes da Cidade. Ele afirmou que a partir da próxima semana serão feitas vistorias conjuntas, entre técnicos da autarquia e representantes do Corpo de Bombeiros, para checar a situação de cada um dos 70 equipamentos. “Apenas depois que for realizado este estudo é que teremos condições de dizer se há realmente a necessidade de manutenção ou ampliação dos hidrantes. Se houver, faremos os serviços necessários”.

Melo informou que as manutenções nos equipamentos são feitas apenas quando há solicitações por parte do Corpo de Bombeiros. Ele explicou que, após a conclusão dos estudos, que deve ocorrer dentro de duas semanas, também será avaliada a possibilidade de um plano de vistorias que garantam um bom funcionamento
constante de toda a rede. “Vamos verificar, de forma conjunta, a periodicidade e o momento correto de realização da manutenção”.

FONTE: 08/11/2011 – http://odiariodemogi.inf.br/cidades/noticia_view.asp?mat=32882&edit=6

138 visualizações, 0 hoje

Mogi terá ginásio paradesportivo

| Diário de Mogi | 6 de novembro de 2011

NOVIDADE Bertaiolli deu o ponta pé inicial de inauguração do Ginásio do Centro Municipal de Programas Educacionais (Cempre) Professor José Limonge Sobrinho, no Botujuru


A Administração Municipal se organiza para um próximo desafio na área esportiva: a construção de um ginásio paradesporto. O complexo será erguido ao lado das instalações da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), no Rodeio, e atenderá as necessidades dos atletas portadores de deficiência física da Cidade. Após inaugurar o Ginásio Poliesportivo do Centro Municipal de Programas Educacionais (Cempre) Professor José Limonge Sobrinho, no Botujuru, na manhã de ontem, que servirá de palco para jogos de handebol e futsal dos 75° Jogos Abertos do Interior “Horácio Baby Barioni”, o prefeito Marco Bertaiolli (PSD) contou a novidade. À tarde, foi a vez do Ginásio Poliesportivo da Escola Municipal Doutor Álvaro de Campos Carneiro, em Jundiapeba, ser inaugurado.

“Vamos apresentar o projeto na Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e esperamos que a obra comece já no próximo ano. Este ginásio em Botujuru custou R$ 1,5 milhão e a obra paradesportiva deve ter o mesmo valor”, antecipou.

Bertaiolli disse que, com esses ginásios, a Cidade está bem preparada com relação a equipamentos para receber a competição. “Hoje (ontem), entregamos essas quadras, primeiras do Município com medidas oficiais para disputa de jogos, e, depois de passado o torneio, a comunidade poderá utilizar o espaço aos finais de semana, assim como os alunos durante as aulas”, ressaltou. Hoje o chefe do Executivo mogiano entregará, às 11 horas, o Centro Esportivo de Braz Cubas.

Já na próxima quarta-feira as disputas têm início nos complexos. Às 9 horas a 2ª divisão do handebol feminino livre de Itatiba entrará em quadra contra Taquaritinga. Às 20 horas será a vez da 1ª divisão do handebol feminino livre, e Mogi das Cruzes enfrentará Suzano. Ambos os jogos acontecerão no Cempre de Botujuru. Em Jundiapeba, Ribeirão Pires tentará a melhor contra Vinhedo, na 2ª divisão do handebol masculino sub 21.

De acordo com o secretário de Esportes, Nilo Guimarães, a Administração Municipal está deixando um legado físico para os jovens atletas mogianos. “Uma quadra desse nível é um cartão de visita, porque acredito que não exista um espaço desse construído para ser usado por escolas e comunidades”, destacou,

Para ele, apesar da Cidade não contar com uma pista de atletismo para esta edição, é um aparelho que deve ser buscado. “Infelizmente perdemos a que estava no Centro Esportivo da UMC (Universidade de Mogi das Cruzes) e o ideal seria que tivesse uma pista sintética para a prática do esporte. Devemos correr atrás disso para que possamos oferecer alternativas completas de aparelhos”, afirmou o secretário.

FONTE: 06/11/2011 – http://www.odiariodemogi.inf.br/noticia_view.asp?mat=32869&edit=3

262 visualizações, 1 hoje

Jardim Rodeio vai ganhar ginásio de paradesporto de R$ 2 milhões

| Mogi News | 6 de novembro de 2011

Projeto executivo está sendo analisado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência


Fotos: Daniel Carvalho

Ginásio do Botujuru foi inaugurado ontem pelo prefeito Marco Bertaiolli (PSD), assim como o de Jundiapeba; equipamentos serão utilizado durante os Jogos Abertos

Já está em análise na Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência o projeto executivo do primeiro ginásio do paradesporto de Mogi das Cruzes. O espaço, destinado a treinamentos de atletas com algum tipo de deficiência, estará localizado no Jardim Rodeio, nas imediações da sede da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), a ser inaugurada. A novidade foi anunciada ontem pelo prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (PSD), após solenidade de inauguração do ginásio do Botujuru.

A ideia é de que o ginásio – com dimensões e estrutura oficiais que atendam às exigências da Confederação do Paradesporto Brasileiro – comece a ser construído no primeiro semestre de 2012 e sirva como um centro de formação e treinamento de atletas para disputas paradesportivas.

Até então, atletas mogianos de renome na cidade como Dirceu Pinto, medalhista de ouro (categorias individual e dupla) nas Paraolimpíadas de Pequim, em 2012, não tinham um local específico para treinamento, além do Ginásio Municipal “Hugo Ramos”.
“Trata-se de um investimento importante no esporte que pretendo realizar no ano que vem. Já entregamos o projeto executivo para o governo do estado que construirá o ginásio ao lado da AACD”, detalhou Bertaiolli.
As negociações entre o município e o governo do Estado para construção do ginásio tiveram início em agosto último, durante visita da secretária estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella. O investimento está estimado em R$ 2 milhões. Após a conclusão das obras, o Estado deverá contratar uma organização social para fazer a gestão do centro.

FONTE: 06/11/2011 – http://www.moginews.com.br/materias/matimp.aspx?idmat=107476

144 visualizações, 0 hoje

Faltam 27 hidrantes na Cidade

| Diário de Mogi | 5 de novembro de 2011

NO RODEIO Incêndio destruiu depósito de materiais recicláveis


Uma reunião entre a direção do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) e do Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes, na próxima segunda feira, discutirá a necessidade de implantação de 27 novos hidrantes em regiões mais afastadas do Centro da Cidade. No encontro também serão apresentados os resultados dos estudos realizados nos 57 equipamentos espalhados pelo Município.

A discussão começou após o Corpo de Bombeiro tentar conter um incêndio de grande proporção, na última segunda-feira, em um depósito de materiais recicláveis localizado na Rua Miguel Precioso, no Rodeio.

Assim como ocorreu no último dia 26 de setembro, quando outro depósito de materiais recicláveis, também no Rodeio, foi destruído por um incêndio, a água armazenada no caminhão auto-bomba dos Bombeiros não era suficiente para apagar as chagas.

“A gravidade do acidente só foi maior porque o hidrante do local estava quebrado. Poderíamos ter controlado o fogo rapidamente se o equipamento estivesse em condições de uso”, explicou o comandante do Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes, Marcos Paulo.

Segundo ele, homens do Semae e da corporação já iniciaram o levantamento das condições dos hidrantes da Cidade. “Vamos apresentar na segunda-feira um estudo detalhado dos equipamentos. Foi importante retomarmos a discussão para incluirmos no orçamento de manutenção, a implantação urgente destes novos hidrantes. É de extrema necessidade para nosso trabalho”, destacou o comandante.

A reunião, ainda sem horário definido, acontecerá na sede do Semae, na Rua Otto Unger, 450, no Centro de Mogi.

FONTE: 05/11/2011 – http://www.odiariodemogi.inf.br/noticia_view.asp?mat=32837&edit=6

402 visualizações, 0 hoje

Página 2 de 3 1 2 3

Notícias do dia

novembro 2011
S T Q Q S S D
    dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930